• Projeto Chōchō

    Saiba a importância da Autorregulação para os seus filhos

    Atualizado: 5 de Out de 2019

    A autorregulação ou autogestão é a segunda das três áreas-chave de habilidades pessoais que compõem a Inteligência Sociomocional. Conheça os 5 elementos que compõem esta competência.


    A autorregulação diz respeito a como você controla e administra a si mesmo e a suas emoções, recursos internos e habilidades. Também inclui sua capacidade de gerenciar seus impulsos.

    LEIA MAIS: 5 mitos sobre o Desenvolvimento Socioemocional (e porque seu filho deve aprender desde cedo)



    Autocontrole


    O autocontrole não é para mascarar ou esconder as suas emoções, mas para reconhecê-las e controlá-las apropriadamente. 

    Isso significa NÃO tomar decisões precipitadas ou reagir excessivamente a uma situação, mas permanecer calmo e racional. Isso leva a ser capaz de tomar decisões equilibradas com base no que é realmente importante, e não apenas em como nos sentimos no momento.


    As pessoas que têm um bom autocontrole geralmente permanecem calmas mesmo quando estão estressadas. Eles são capazes de pensar claramente sob pressão e ainda tomar boas decisões.


    O autocontrole geralmente se manifesta como ausência de emoção visível.


    Todos nós reagimos mal ou inadequadamente a eventos ou situações do passado, e todos faremos o mesmo no futuro.


    A prática reflexiva , ou seja, refletir sobre tais situações, nos permite analisar e entender por que agimos da maneira que fizemos, e isso, por sua vez, pode nos ajudar a nos comportar de maneira mais inteligente daqui pra frente.


    Ao refletir, é útil pensar em si mesmo de uma maneira positiva. Não pense: "Eu estraguei tudo isso completamente, sou um fracasso ", mas busque algo mais positivo, como " posso usar essas experiências para aprender e me tornar uma pessoa melhor ".


    LEIA MAIS: Baixa Autoestima: O que fazer quando a criança apresenta indícios?


    A autorregulação também inclui um elemento de assumir responsabilidade por suas próprias ações e garantir que o que você faz corresponde a seus valores pessoais.

    Confiabilidade e Consciência


    Confiabilidade e conscienciosidade podem ser consideradas como dois lados da mesma moeda, porque ambos se comportam "bem", de acordo com seus valores pessoais e código de ética.

    Confiabilidade é a capacidade de manter sua integridade, o que significa garantir que o que você faz é consistente com seus valores pessoais.


    Pessoas que são confiáveis ​​agem eticamente.

    Eles constroem confiança por meio de suas ações pessoais e da maneira como suas ações são consistentes com seus valores adotados. Eles também estão preparados para enfrentar ações antiéticas e tomar uma posição quando necessário, mesmo que essa posição seja impopular.


    A consciência está assumindo a responsabilidade pelo seu desempenho pessoal e garantindo que ele corresponda à sua capacidade e seus valores.

    Daniel Goleman, autor de vários livros sobre inteligência emocional, diz que pessoas conscientes:

    • Cumprem seus compromissos e mantêm suas promessas para os outros;

    • Assumem a responsabilidade de estabelecer e alcançar objetivos realistas em sua vida e no trabalho;

    • Têm cuidado com o trabalho deles, organizando-se para garantir que eles possam alcançar os seus objetivos.

    Adaptabilidade


    Adaptabilidade foi definida por Daniel Goleman como sendo a capacidade de ser flexível na resposta à mudança.

    Gerenciar as mudanças é uma tarefa difícil para muitos de nós. Qualquer pessoa que tenha tido contato próximo com crianças reconhecerá que a mudança é inquietante e estressante para elas, e que ser capaz de administrá-la é uma habilidade muito importante.


    Sem controle cuidadoso e sem o desenvolvimento adequado da nossa capacidade de adaptação e resiliência pessoal, a mudança pessoal pode causar muito incomodo e estresse até a idade adulta.


    No entanto, entendendo o que está acontecendo e desenvolvendo nossa capacidade de gerenciar mudanças, é possível encarar a mudança como uma aventura, e não como um problema.


    As pessoas adaptáveis, aquelas que gastaram tempo desenvolvendo sua capacidade pessoal de gerenciar e responder à mudança, tendem a:


    • Serem capazes de gerenciar múltiplas demandas de tempo e de energia, priorizando de forma eficaz e aceitando mudanças rápidas quando necessário.

    • Adaptar suas respostas e o modo como elas operam para se adequar a situações diferentes de maneira eficaz;

    • Serem flexíveis em como eles encaram as diferentes situações, sendo capazes de enxergar múltiplas perspectivas.


    LEIA MAIS: Pesquisa mostra que desenvolver Habilidades Socioemocionais melhora o aprendizado na escola.


    Inovação


    A inovação é a capacidade de estar aberto a novas idéias e abordagens. Daniel Goleman disse que pessoas inovadoras:

    • Procuram novas ideias de uma ampla variedade de fontes;

    • Estão preparados para considerar novas formas de resolver problemas, mesmo que ouçam a famosa frase: "não é assim que sempre fizemos aqui";

    • Geram suas próprias ideias;

    • Estão preparados para ver as coisas de outras perspectivas, sendo capazes de assumirem os riscos em seus pensamentos.


    LEIA MAIS: Habilidades Socioemocionais: como elas podem impactar o futuro das crianças?



    O desenvolvimento socioemocional está preocupado com nosso desejo de nos tornar uma pessoa melhor, aprendendo novas habilidades e desenvolvendo habilidades existentes. É uma parte fundamental tanto da inovação quanto da adaptabilidade, porque se trata de ser proativo e inovador e aprender coisas novas.


    Uma parte essencial da inteligência emocional


    Aprender a regular e administrar a si mesmo, suas emoções e seus recursos internos é um passo fundamental para uma boa inteligência socioemocional. Somente aqueles que compreendem e valorizam a si mesmos, e são capazes de usar seus próprios recursos, serão capazes de se relacionar completamente com os outros.


    Fonte: Skills you Need




    © 2020 Projeto Chōchō