• Projeto Chōchō

    Por que trabalhar habilidades socioemocionais na escola?

    Atualizado: 4 de Fev de 2019

    Em 2020, 85 milhões de vagas no mercado de trabalho deixarão de ser preenchidas em todo o mundo. O motivo? Falta de mão-de-obra com as habilidades e competências exigidas para as funções.


    Esse dado, levantado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em conjunto com o Instituto Global McKinsey, mostra uma transformação em curso no mundo do trabalho. Cada vez mais os recrutadores buscam candidatos com competências diferenciadas como capacidade de colaboração, de comunicação, pensamento crítico, abertura para o novo, criatividade… E todas essas são habilidades socioemocionais que o modelo conteudista de educação do século 20 jamais se preocupou em desenvolver.



    Pesquisas mostram uma transformação em curso no mundo do trabalho, onde as empresas não buscam somete bons currículos. Cada vez mais os recrutadores buscam candidatos com competências diferenciadas como capacidade de colaboração, de comunicação, pensamento crítico, abertura para o novo e criatividade.


    Incorporar o desenvolvimento socioemocional ao currículo, portanto, é uma necessidade. E vai se tornar também uma exigência legal, a partir da entrada em vigor da Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, que reafirma o compromisso com a educação integral dos alunos. Entre as 10 competências gerais da BNCC, quatro são focadas em competências e habilidades socioemocionais.





    O que as crianças ganham?

    Em estudo divulgado em 2015 e intitulado “Habilidades para o Progresso Social – O Poder das Habilidades Socioemocionais”, a OCDE afirma:

    • “Crianças e adolescentes precisam de um conjunto balanceado de habilidades cognitivas e socioemocionais para terem sucesso na vida moderna.”

    • “Habilidades cognitivas e socioemocionais interagem entre si, melhorando a capacidade das crianças de obter sucesso dentro e fora das escolas.”

    • “Para ajudar indivíduos a responder aos desafios do mundo moderno, as habilidades socioemocionais são tão importantes quanto as cognitivas.”


    – “O melhor desenvolvimento dessas habilidades ajuda as crianças a alcançar uma vida mais próspera, mais saudável e mais satisfatória.”"


    LEIA MAIS 4,5 problemas mais comuns da adaptação escolar do seu filho: saiba como lidar com eles

    Habilidades desenvolvidas

    Um programa bem estruturado de Educação Socioemocional desenvolve habilidades em quatro frentes: cognitiva, emocional, social e ética. Confira a seguir uma breve relação das principais habilidades desenvolvidas em cada uma dessas áreas:


    Cognitiva

    Resolver problemas, planejar, tomar decisões, estabelecer conclusões lógicas, investigar e compreender problemas, pensar de forma criativa, fortalecer a memória, classificar e seriar.


    Emocional


    Lidar com as emoções, com o ganhar e o perder, aprender com o erro, desenvolver autoconfiança, autoavaliação e responsabilidade.


    Social

    Cooperar e colaborar, lidar com regras, trabalhar em equipe, comunicar-se com clareza e coerência, resolver conflitos, atuar em um ambiente de competição saudável.

    Ética

    Respeitar, tolerar e viver a diferença, agir positivamente para o bem comum.



    Fonte: OECD (2012), Better Skills, Better Jobs, Better Lives: A Strategic Approach to Skills Policies, OECD Publishing.




    © 2020 Projeto Chōchō