• Projeto Chōchō

    5 mitos sobre o Desenvolvimento Socioemocional (e porque seu filho deve aprender desde cedo)


    O aprendizado socioemocional engloba uma ampla gama de habilidades, incluindo desde a consciência das emoções, autocontrole, até a resolução de conflitos, liderança e saber trabalhar em equipe. É muito mais do que processar sentimentos e afeta tudo o que fazemos com as crianças.

    A Educação Socioemocional, ou SEL (do inglês, Social Emotional Learning), tem se mostrado, mais do que nunca, indispensável para os alunos do ensino fundamental e médio. Muitos profissionais (como professores, psicólogos e terapeutas) incorporam técnicas de desenvolvimento socioemocional nas práticas diárias do seu trabalho, construindo a auto-estima, ensinando respeito, tolerância, empatia e bondade dentro e fora da sala de aula.


    Mas muitas pessoas, profissionais da educação ou não, ainda têm resistência sobre esse tipo de assunto, ou ainda, nunca ouviram falar em desenvolvimento socioemocional. E em sala de aula, o ensino acadêmico e os testes padronizados, ofuscam um tempo valioso que poderia ser redirecionado para o ensino de currículos de bem-estar emocional dos alunos.

    LEIA MAIS: Por que trabalhar habilidades socioemocionais na escola?


    Além disso, somente neste ano de 2019, os currículos públicos e privados no Brasil, começaram a implementar as diretrizes da BNCC nos currículos escolares, que orientam as escolas a implementarem o desenvolvimento socioemocional dentro das disciplinas regulares.


    Por ser ainda um assunto muito novo (especialmente no Brasil), pais, professores e alunos ainda têm dificuldade de entender e ensinar habilidades sociais básicas, técnicas de consciência corporal, assertividade, auto controle e comunicação.


    Tendo em vista estas dúvidas que frequentemente surgem (muitas vezes acompanhadas de falsas crenças e suposições) sobre socioemocional, hoje nós vamos tentar esclarecer alguns mitos sobre o assunto.


    O aprendizado socioemocional engloba uma ampla gama de habilidades, incluindo desde a consciência das emoções, autocontrole, até a resolução de conflitos, liderança e saber trabalhar em equipe. É muito mais do que processar sentimentos e afeta tudo o que fazemos com as crianças.

    Mito 1: Educação Socioemocional é menos importante que ler, escrever e matemática.


    Essas habilidades são tão importantes, se não mais importantes do que ler, escrever ou até mesmo a matemática. Bem-estar social e emocional é ensinado para o sucesso da vida. A capacidade de comunicar-se, trabalhar bem com os outros, discordar respeitosamente, ouvir, mostrar empatia e consciência corporal saudável são todas habilidades necessárias para o sucesso acadêmico, relacionamentos pessoais e vida profissional.


    LEIA MAIS: Pesquisa mostra que desenvolver Habilidades Socioemocionais melhora o aprendizado na escola.

    Mito 2: "Treinar habilidades socioemocionais é apenas para as crianças problemáticas. Meu filho não precisa disso!"


    Não. Não é verdade. Todas as crianças (TODAS as crianças) se beneficiam deste tipo de aprendizado. Os alunos chegam à escola com níveis variados de bem-estar social e emocional. Alguns têm conhecimento e mais compreensão do que seus outros. Desenvolver estas habilidades significa que pais e professores trabalham juntos como uma unidade, para desenvolver nas crianças as habilidades para lidar com frustrações, resolução de conflitos e auto estima. Ou seja, são competências que as crianças vão levar para toda a vida, gerando benefícios inclusive quando elas estiverem no mercado de trabalho.


    LEIA MAIS: Habilidades Socioemocionais: como elas podem impactar o futuro das crianças?


    Mito 3: "Meu filho vai aprender essas habilidades em casa!"


    Por diversos motivos (falta de tempo, desconhecimento, dificuldade de comunicação com os filhos, diferenças de temperamento ou até mesmo divergência de opinião), pais e mães não conseguem passar aos filhos as melhores formas de como lidar com os problemas de seu dia a dia. Muitas vezes, os pais nem ficam sabendo que o filho está enfrentando problemas de relacionamento na escola. Em alguns casos, o filho tem dificuldade de se comunicar com os pais, e acaba passando por situações como bullying ou discriminação, e sofrendo calado, sem saber como agir ou a quem recorrer.


    LEIA MAIS: A importância da família no desenvolvimento da criança.


    Mito 4: As habilidades da SEL não afetam a vida escolar.


    Não só o aprendizado socioemocional afeta, mas determina a felicidade na escola para a maioria das crianças. Mais importante, as crianças estão sendo avaliados socialmente por seus colegas e amigos constantemente. Esses “testes sociais” acontecem em sala de aula, no playground e fora da escola. Se as crianças receberem feedback positivo sobre esses “testes”, elas terão mais probabilidade de serem mais felizes e apreciadas pelos indivíduos na escola. Se não, o oposto é verdadeiro. Acreditamos que os testes sociais fracassados ​​são mais perturbadores para os alunos do que falhar em um teste de matemática ou ciências e também têm maior importância. Geralmente, os testes sociais são mais difíceis de passar do que qualquer teste acadêmico para muitas crianças e jovens. Estas experiências de ser "reprovado" pelos colegas, pode levar a casos de isolamento, introspecção e até mesmo de depressão em alguns casos.


    LEIA MAIS: Baixa Autoestima: O que fazer quando a criança apresenta indícios?


    Mito 5: O aprendizado social e emocional NÃO aumenta o sucesso acadêmico.


    Mas sim! AUMENTA !! Existem diversas pesquisas que mostram que o desenvolvimento socioemocional aumenta, e muito, o aprendizado acadêmico. Os estudos também mostram como a aprendizagem social e emocional permite menos interrupções de comportamento para os professores durante o dia, o que equivale a um tempo de instrução mais útil para todos. Desenvolvendo autoconsciência, auto gerenciamento, resiliência, agilidade social e capacidade de decisão responsável, os alunos são mais preparados academicamente para a vida escolar e profissional. Ensinar às crianças essas habilidades desde cedo será um presente para a melhoria da sociedade.

    LEIA MAIS: Desenvolvimento Socioemocional: Parte II - Como o aprendizado socioemocional podem influenciar no aprendizado.


    Antigamente, poucas pessoas davam importância para o desenvolvimento destas habilidades de crianças e adolescentes. O que invariavelmente, acabava resultando em crianças isoladas socialmente, seja por não saberem se relacionar com as outras pessoas ou por não conseguirem controlar sua impulsividade, se tonando crianças descontroladas ou invasivas).


    Estas habilidades acompanharão as crianças para toda a vida (seja na escola, na faculdade, no emprego ou até mesmo em relacionamentos afetivos). Portanto, aprender técnicas que facilitem a comunicação, a expressão dos sentimentos e a comunicação com os outros se torna tão essencial e deve ser estimuladas desde cedo nas crianças.


    Fonte: TeachHappy




    63 visualizações

    © 2020 Projeto Chōchō